A palavra computador, segundo o dicionário Aurélio, significa:

Aquele que faz cômputos, que calcula. Máquina capaz de receber, armazenar e enviar dados, e de efetuar, sobre estes, sequências previamente programadas de operações aritméticas (como cálculos) e lógicas (como comparações), com o objetivo de resolver problemas.

Se aceitarmos a definição do dicionário Aurélio e partirmos do princípio que computador é uma máquina que calcula ou que efetua operações com o objetivo de resolver problemas, então temos que aceitar invenções ainda do século XVII como sendo computadores. Conheça abaixo um pouco da história dos ancestrais dessas máquinas das quais dependemos tanto hoje em dia. Um filósofo, físico e matemático chamado Blaise Pascal (1623-1662) criou, em 1642, uma máquina com o objetivo principal de calcular impostos. Ela continha 6 rodas dentadas. Cada roda possuía 10 dentes, que correspondem aos algarismos (de 0 a 9). Da direita para a esquerda, a primeira roda representava as unidades, a segunda as dezenas, depois as centenas e assim por diante. Embaixo delas existia um pequeno “braço” que fazia com que, quando a roda girasse de 9 para 0, ela fazia a roda a sua esquerda se movimentar um dente, ou seja, aumentar uma unidade. Como o custo da máquina de Pascal era muito elevado, estima-se que foram construídas entre 50 e 60 unidades apenas.

Máquina de Pascal

Máquina de Pascal

O projeto original da máquina de Pascal foi aprimorado pelo matemático alemão Gottfried Wilhelm Leibniz (1646-1726), considerado um dos desenvolvedores do cálculo moderno. Mas apesar dessa evolução, foi somente no século XIX que houve um salto realmente grande na evolução das máquinas, já que havia naquela época a necessidade de se criar tecidos com diferentes cores ou formas, então, diante disso, Joseph Marie Jacquard (1752-1834) cria, em 1804, um tear capaz de interpretar cartões perfurados e, a partir disso criar formas simples nos tecidos. Nele, de acordo com a presença de furos nos cartões, os fios eram levantados, ou seja, para se mudar o desenho do que estava sendo criado, bastava que se trocasse o cartão perfurado. Esse seu tear foi revolucionário para a época e a história da tecelagem ficou dividida em antes e depois de sua invenção.

Tear de Joseph Marie Jacquard

Tear de Joseph Marie Jacquard

O próximo grande salto na evolução das máquinas viria de Charles Babbage (1792-1871), um professor de matemática de Cambridge, que projetou uma máquina formada por rodas dentadas, mas que teria precisão de 50 dígitos e que ficou conhecida como calculador analítico. As instruções seriam recebidas nessa máquina a partir de cartões perfurados, assim como na invenção de Jacquard. Junto com Babbage, trabalhou nesse projeto uma jovem matemática inglesa chamada Ada Augusta (1815-1852), filha do poeta Lord Byron e Annabela. Ada desenvolveu grande quantidade de instruções para a máquina de Babbage, além de criar conceitos como sub-rotinas, loops e saltos condicionais, hoje tão usados em todas as linguagens de programação. Por tudo isso ela é reconhecida como a primeira programadora de toda a história. No entanto, apesar do esforço de ambos, o calculador analítico de Babbage nunca chegou a existir. O projeto foi interrompido principalmente por problemas financeiros, pois o desenvolvimento de algo tão ousado tinha custos muito elevados e não houve quem quisesse patrociná-los.

Ada Lovelace

Ada Lovelace

No final do século XIX, um americano chamado Herman Hollerith (1860-1929) criou uma máquina que, apesar não possuir algo tão revolucionário, foi de grande utilidade, pois ela conseguia separar os cartões perfurados de acordo com suas furações. Isso foi muito útil e reduziu bruscamente o tempo de processamento dos dados do censo.

Apenas como comparação, em 1880 esses dados demoraram sete anos e meio para serem analisados. No censo de 1890, já utilizando a invenção de Hollerith, o tempo de processamento foi de apenas dois anos e meio. Essa invenção foi batizada de Máquina de Hollerith e ela foi tão bem aceita que seu criador abriu uma empresa para produzir máquinas de tabulação. Alguns anos depois essa companhia teve seu nome mudado para IBM. O próximo grande marco na história dos computadores aconteceu em 1935 e o responsável por ele foi o engenheiro alemão Konrad Zuse (1910-1995), que construiu uma máquina que ficou conhecida como o primeiro computador eletro-mecânico, capaz de efetuar cálculos de soma, subtração, multiplicação e divisão de 22bits com ponto flutuante, que basicamente são números não inteiros.

Konrad Suze

Konrad Suze

Apesar de uma grande inovação para a época, a invenção de Zuse não foi bem aceita e nem o governo alemão manifestou interesse, pois não viu como ele poderia ser útil durante a guerra. Enquanto isso a marinha americana, numa parceria muito bem sucedida com a universidade de Harvard, desenvolveu um computador chamado Harvard Mark I, que ocupava nada menos do que 130m² e era capaz de realizar multiplicações entre dois números de dez dígitos cada em três segundos.

Hardvard Mark I

Hardvard Mark I

Em paralelo a isso, o exército americano trabalhava em um projeto semelhante, mas mais ousado. Tratava-se do primeiro computador a válvulas do mundo, com capacidade de realizar quinhentas multiplicações por segundo. Nascia, em 1945, o ENIAC (Eletronic Numeric Integrator And Calculator), que utilizava válvulas eletrônicas e trabalhava com números em formato decimal. Apesar de realizar uma quantidade absurda de operações por segundo (para os padrões da época, claro), a entrada de dados no ENIAC era extremamente demorada e complexa, já que muitas válvulas e fios deveriam ser trocados de lugar para se alterar as variáveis. Durante a segunda guerra mundial o ENIAC foi utilizado para calcular trajetórias balísticas, algo inédito até então.

ENIAC

ENIAC

Alguns números do ENIAC:
Possuía mais de 17.000 válvulas
500.000 pontos de solda
30 toneladas de peso
Ocupava uma área de 180m²

Enquanto o ENIAC era construído, John Adam Presper Eckert Jr. e John Mauchly trabalharam no desenvolvimento de um outro computador, que seria apresentado quatro anos mais tarde, o EDVAC (Electronic Discrete Variable Automatic Computer), também conhecido como sucessor do ENIAC. Sua capacidade de memória era 100 vezes maior que o seu antecessor, apesar de possuir o mesmo tamanho, mas talvez a grande inovação seja a manipulação de dados através do código binário ao invés do sistema decimal, o que diminuiu significativamente o número de válvulas. A memória do EDVAC era construída com lâmpadas de mercúrio. Quando uma dessas lâmpadas era excitada com um impulso elétrico, este poderia ser enviado para frente ou para trás e, dessa forma era interpretado como 0 ou 1.

EDVAC instalado no Edifício 328 do Ballistics Research Laboratory

EDVAC instalado no Edifício 328 do Ballistics Research Laboratory

Ainda em 1949 nasceu o EDSAC (Eletronic Delay Storage Automatic Calculator ou "Calculadora Automática com Armazenamento por Retardo Eletrônico"). Ele foi criado por um cientista inglês chamado Maurice Wilkes e foi o primeiro computador operacional em grande escala capaz de armazenar seus próprios programas.

EDSAC

EDSAC

No ano seguinte, em 1952, foi lançado, pelos mesmos criadores do ENIAC, o UNIVAC (Universal Automatic Computer). Ele tinha sido todo projetado para uso comercial e era produzido nos Estados Unidos. Seu preço era de U$1,500.000.00 e apenas 46 unidades foram produzidas. Ele pesava 13 toneladas, o que comparado às 30 toneladas do ENIAC deixava claro o grande avanço tecnológico. O número de válvulas também tinha sido reduzido consideravelmente, já que ele possuía "apenas" 5200 delas. O primeiro UNIVAC foi entregue ao escritório de censo dos Estados Unidos em 31 de março de 1951.

UNIVAC

UNIVAC

A partir de 1953 a gigante IBM começou a dominar o mercado, com a produção do seu modelo 701 em escala comercial. O ano de 1953 também ficou marcado com a criação da linguagem FORTRAN, considerada a primeira linguagem de alto nível para computadores.

IBM 701

IBM 701

A década de 60 foi importantíssima para a evolução dos computadores, pois a corrida espacial fez com que o governo dos Estados Unidos investisse bilhões de dólares em pesquisas para o desenvolvimento tecnológico, a fim de que eles pudessem ser os primeiros a chegar ao espaço. Graças a isso, no final de 1963 e início de 1964 começaram a ser produzidos os primeiros circuitos integrados. Basicamente os C.I.s, também conhecidos como chips, são compostos de pastilhas de material semicondutor. Com os chips os computadores puderam ter seu tamanho reduzido significativamente, além de se tornarem mais estáveis e baratos. Um dos primeiros computadores a usarem circuitos integrados em sua estrutura foi o IBM 360. Seu sucesso foi tão grande que a IBM produziu e vendeu mais de 30.000 unidades dele, um número bastante significativo para a época.

IBM 360

IBM 360

A década de 70 não apresentou grandes evoluções tecnológicas, exceto pelo surgimento do disquete, criado pela IBM em 1971 e que seria a principal mídia móvel de armazenamento de dados por mais de 25 anos, sofrendo apenas uma redução em seu tamanho e aumentando a capacidade de armazenamento. O primeiro disquete possuía 8 polegadas de tamanho e sua capacidade de armazenamento era de apenas 80Kbytes. Apenas como comparação, um CD armazena 700.000Kbytes e um DVD 4.500.000Kbytes e ambos são fisicamente menores do que o disquete citado, já que eles têm aproximadamente 5 polegadas de diâmetro.

Disquete de 8 Polegadas

Disquete de 8 Polegadas

Nos anos 80 novas tecnologias permitiram que fossem criados chips com grande escala de integração e, devido a isso, alguns C.I.s chegavam a incorporar até 300 mil componentes, o que possibilitou mais uma redução no tamanho dos computadores e também fez com que seus preços caíssem muito. Em 1981 a IBM lançou o IBM-PC, que já possuía memória interna de 64Kbytes e um processador de 4.7MHz. Seu preço estava em torno dos 1500 dólares e ele teve ótima aceitação no segmento comercial. Como se pode ver na imagem ao lado, ele já começa a lembrar os nossos computadores atuais.

IBM PC

IBM PC

O próximo modelo que dominou o mercado foi o IBM PC XT. Ele possuía 8 slots de expansão ISA, ao contrário dos 5 do IBM PC. Tinha um HD de 10MBytes, enquanto os IBM PCs vinham sem HD. Tinham 256Kbytes de memória, mas era possível encontrar alguns modelos com 512Kbytes de memória e HD de 20Mbytes. Uma unidade de disquete de 5 1/4" também já vinha acoplada ao gabinete. O XT foi o computador mais vendido ao longo de toda a década de 80, mesmo após o surgimento de computadores com processadores mais velozes, visto que estes tinham um custo muito alto. O sistema operacional que normalmente acompanhava o PC XT era o DOS 2.0.

IBM PC XT

IBM PC XT

A partir do IBM PC XT as evoluções começaram a ser mais em relação ao desempenho do que ao visual. Em 1984 surgiu o PC/AT 80286, que utilizava um processador produzido pela Intel e trabalhava a 6MHz. Dois anos mais tarde foi lançado um modelo que operava a "fantásticos" 8MHz, e ambos possuíam slots ISA de 16Bits e HD de 20Mbytes. Os processadores 80286 trouxeram algumas vantagens interessantes sobre os modelos anteriores, como a possibilidade de se executar mais de uma tarefa através de recursos incorporados ao processador e a memória virtual em disco, recurso utilizado até os dias de hoje pelos sistemas operacionais.

Processador 80286

Processador 80286

Na sequência disso tivemos os processadores 386, 486, 586, Pentium/K6, Pentium 2/K6-2, Pentium 3/Athlon, onde basicamente o que mudou foi a frequência de trabalho dos mesmos. Claro que funcionalidades foram sendo agregadas a eles, seus transistores foram diminuindo de tamanho, mas a mudança mais significativa aconteceu já no século XXI, com a chegada dos processadores multinúcleos, que dominam o mercado no momento, equipando até mesmo os Smartphones mais modernos. Uma forma bastante simples de se imaginar um processador com vários núcleos seria pensar numa cabeça com vários cérebros. Com essa arquitetura é possível executar simultaneamente aplicações que antes eram enfileiradas e executadas uma a uma. Abaixo estão as fotos do Core i7980X da Intel, com 6 núcleos e 12 threads e do Phenom 2 X6 da AMD, com 6 núcleos e 6 threads.

i7-980X e Phenom 2 X6

i7-980X e Phenom 2 X6

Computadores equipados com esses processadores possuem uma capacidade de processamento extremamente alta, sendo capazes de realizar renderização de objetos complexos em 3D e, ao mesmo tempo tocar uma música ou gravar um DVD.

Você Sabia?

Desde o seu lançamento, em 1985, o fantástico jogo Tetris vende pelo menos 70 milhões de unidades por ano em todo o mundo! Os dados são oficiais e fornecidos pela THQ, uma das distribuidoras do título.


Em 1949 a revista Popular Mechanics fez uma previsão para o futuro, dizendo: "Um dia os computadores pesarão menos do que 1,5 tonelada". E pensar que temos smartphones capazes de realizar milhões de vezes mais operações do que os computadores daquela época.


A IBM detém o recorde de patentes em um único ano, atingindo a marca de 4186 registros no ano de 2008. Clique aqui e saiba mais sobre esta gigante do mundo da tecnologia.


O console Nintendo Entertainment System (NES), da Nintendo, detém o recorde de videogame mais clonado em todo o mundo. Já foram catalogados mais de 300 aparelhos diferentes capazes de reproduzir seus jogos! Saiba mais sobre ele aqui.


O título Tetris detém o recorde de jogo mais adaptado de todos os tempos. No total foram mais de 60 plataformas diferentes que receberam alguma versão do quebra-cabeças criado por Alexey Pajitnov. Conheça mais sobre este incrível jogo clicando aqui.


Digitar senhas em computadores de uso coletivo é extremamente perigoso, pois além de softwares de monitoramento, existem dispositivos de hardware que podem capturar suas senhas. Evite ao máximo acessar sites de bancos a partir destes computadores. Veja mais aqui.


O personagem Mario surgiu pela primeira vez no mundo dos games em um jogo chamado Donkey Kong, lançado em 1981. Mario, que naquela época se chamava Jumpman, não era o personagem principal do jogo, mas ele se tornaria um dos mais famosos personagens do mundo dos games. Saiba mais.


A empresa Take-Two pagou à Infogrames mais de 22 milhões de dólares pelos direitos de Civilization, em novembro de 1994. Ainda sobre este título, Sid Meier, um dos seus fundadores, é o profissional da área dos games mais premiado em todo o mundo.


O primeiro computador a conseguir rodar o jogo Spacewar era o PDP-1, que custava 120 mil dólares e pertencia ao Massachusetts Institute of Technology. O jogo demorou 200 horas para ser desenvolvido, em 1962, e seu criador foi um cientista da computação chamado Steve Russel.


Apenas no ano de 1982, o clássico Pac Man vendeu mais de 400 mil máquinas de fliperama em todo o mundo e recebeu cerca de 7 bilhões de moedas nestas máquinas. Saiba mais.


Até a primeira metade dos anos 90 era bastante comum que as trilhas sonoras dos games fossem criadas por mulheres e a responsável pelas músicas do clássico Street Fighter 2 foi Yoko Shimomura. Segundo ela, o ritmo "Tararirarin" da música tema do personagem Blanka, do Brasil, veio à sua cabeça enquanto ela estava no trem a caminho da Capcom.


Criar um jogo é muito mais complexo do que parece. São milhares, às vezes, milhões de linhas de código. Isso não é exagero! Apenas o jogo Ultima Online possui 6.006.313 linhas de programação, totalizando 25.103.295 palavras


O título Asteroids, do Atari, possui recorde de pontuação há 30 anos. Em 1982 um americano chamado Scott Safran atingiu a marca de 41.336.440. Atualmente ele faz parte de um minúsculo grupo de jogadores que conseguiram manter seus recordes por mais de 30 anos.